Petrópolis: 50 anos depois, mulher perde a vida da mesma forma que a avó

Cecilia Lima Fiorese nasceu em Petrópolis, em 1981, e ganhou o nome em homenagem à avó, Cecilia Eler de Lima. A avó faleceu aos 55 anos, no dia 25 de novembro de 1971, após deslizamento de terra na Rua Bernardo de Vasconcellos, no Cascatinha, na cidade da Região Serrana do Rio de Janeiro.

LEIA TAMBÉM:  Tiago Leifert faz apelo e desabafa sobre câncer da filha: ‘eu demorei para ir’

Cinco décadas depois da morte de Cecilia Eler, a neta Cecilia Lima foi vítima da mesma tragédia. A mulher de 40 anos trabalhava em um consultório odontológico da Rua Teresa, um local comercial e muito conhecido da cidade de Petrópolis.

Depois de um período desempregada, Cecília estava feliz com o retorno ao mercado de trabalho. Na terça-feira (15), começou a chover muito forte em Petrópolis. Choveu em seis horas o que era esperado para o mês. Às 17h58, Cecília trocou mensagens com o ex-marido, Alessandro de Araújo Dutra.

LEIA TAMBÉM:  Mulher de 78 anos é encontrada viva no necrotério, pouco antes do sepultamento e quase é enterrada viva

Ele enviou um vídeo de onde estava, mostrando as fortes chuvas e alagamentos, e perguntou como Cecília estava. “De boa”, respondeu a mulher. Logo depois, a família perdeu contato. Cecília não respondia mais as mensagens que eram enviadas.

O local onde ela trabalhava desmoronou com a forte chuva. Uma testemunha afirmou que Cecilia respondeu após o desabamento. Ela estava presa pelas pernas. Sem socorro a tempo, ela morreu. Cecília, aos 40 anos, perdeu a vida da mesma forma que a avó.

LEIA TAMBÉM:  Geraldo Luís é internado às pressas e passa por procedimento cirúrgico: “Susto”