Caso Júlia: Padrasto de menina assassinada confessa que a matou e dá detalhes do motivo

A menina Júlia dos Anjos, moradora de João Pessoa, desapareceu na quinta, dia 7 de abril. Nas horas seguintes ao desaparecimento a mãe da menina informou que a filha tinha recebido mensagem de uma mulher que oferecia dicas de marketing digital.

A mãe estava desconfiada de havia algum envolvimento da mulher no desaparecimento da filha. Porém, esta hipótese foi descartada.

LEIA TAMBÉM:  Em registro da luta contra o câncer, Preta Gil surge debilitada em hospital e reação de Gilberto Gil emociona

O corpo da menina foi encontrado na última terça, dia 12 de abril, após o padrasto da menina confessar o crime em depoimento ao delegado responsável pelo caso.

O delegado Hector Azavêdo, informou que o padrasto tirou a vida da menina ainda dentro de casa e que só posteriormente levou o corpo de Júlia para o local onde foi descoberto.

LEIA TAMBÉM:  Salário baixo de Key Alves no vôlei vem à tona e empresária endossa: ‘a menina sustenta a família’

No momento em que tudo isso acontecia a mãe de Júlia dormia. Hector revelou que o padrasto sempre foi um dos principais suspeitos e foi em um momento de contradição que ao pressionarem, Francisco Lopes, ele confessou o crime.

Ao ser questionado sobre o que motivou o crime, Francisco Lopes contou que como a esposa estava grávida, ele temia que Júlia dos Anjos pudesse fazer algum para o bebê que está para nascer.

LEIA TAMBÉM:  Netinha de Datena é internada em estado grave com doença comum em crianças; fique atento aos sintomas

Ele não explicou como chegou a esta conclusão. A Polícia Civil também informou que até o momento não descobriu indícios de abuso sexual contra a menina porém a possibilidade ainda não foi descartada.

O delegado Hector explica que ainda falta muitas diligências para se completar o inquérito policial.