Sem Renda Brasil, equipe de Guedes vai focar em desoneração e novo imposto

Nesta terça-feira o presidente Jair Messias Bolsonaro, veio por meio a um vídeo deixando bem claro que o proposta do novo programa chamado Renda Brasil está totalmente cancelado.

A economia do Governo, com o fim do projeto sepultado pelo presidente, o Ministro Paulo Guedes, decidiu centrar esforços numa desoneração ampla na folha de salários.

Uma redução dos encargos que as empresas pagam sobre os salários dos funcionários, sem apoio do Palácio do Planalto para ajustes impopulares em despesas, que abriram caminho a um novo beneficio social mais robusto.

Guedes mira na tentativa de aliviar o custo de empregadores e impulsionar a geração de empregos na saída da crise provocada pela pandemia do novo coronavírus, antes da polêmica envolvendo a discussão sobre o congelamento de aposentadorias por dois anos.

Isso que despertou a ira de Bolsonaro e que levou a interditar o debate da Renda Brasil, o plano da equipe de Guedes era levar ao presidente detalhes da proposta para desoneração nesta quinta-feira dia 16, segundo fontes ouvidas pela reportagem.

A um pedido a ao presidente Jair Bolsonaro, a proposta poderia inclusive incluir a ampliação da imunidade tributária das igrejas, após o presidente se vir obrigado a vetar parte do perdão das dividas de templos religiosos.

Tudo isso para evitar cometer crime de responsabilidade, em suas redes sociais, Bolsonaro defendeu a anistia dos débitos, pregou a derrubada do próprio veto e e prometeu uma Proposta de Emenda à Constituição(PEC).

Logo após a confusão envolvendo o Renda Brasil, no entanto, técnicos admitiram reservadamente que era preciso primeiro avaliar os estragos depois do furacão, antes de jogar sobre a mesa a proposta de desoneração e arriscar novos ruídos na relação com o Planalto.