Relato de ‘pneumonia mais mortal’ que Covid-19 é erro em análise de dados, diz governo do Cazaquistão; entenda a polêmica

O governo do Cazaquistão negou apressadamente a notícia publicada no portal chinês nesta sexta-feira dia 10, de que uma pneumonia fatal, mais grave que a da Covid-19, causou mais de 1.700 mortes.

Mesmo assim, o tema ainda aparecia no tópico mais visto nas redes sociais e fazia com que as pessoas se perguntassem, estamos sob risco de uma nova pandemia?

As fontes diplomáticas e de saúde entrevistadas pelo G1 recusaram, ao menos no caso da pneumonia no Cazaquistão, o novo alerta global não parece ser o caso, mas sim um equívoco dos números relacionados ao novo coronavírus.

Outras pneumonias, nem todas as pneumonias são virais ou podem se espalhar como uma pandemia, o próprio governo do Cazaquistão também reconhece que os números obtidos pela China se referem às várias origens da doença, mas nem sempre à Covid-19.

Nem todos os casos do novo coronavírus ou mesmo mortes pela doença são relatadas como tal, inclusive, o Cazaquistão só passou a incluir assintomáticos na conta da epidemia mais recentemente, o que indica a baixa notificação da doença no país.

A medical staff member walks outside the Jinyintan hospital, where patients infected by a mysterious SARS-like virus are being treated, in Wuhan in China’s central Hubei province on January 18, 2020. – The true scale of the outbreak of a mysterious SARS-like virus in China is likely far bigger than officially reported, scientists have warned, as countries ramp up measures to prevent the disease from spreading. (Photo by STR / AFP) / China OUT

A Embaixada do Cazaquistão no Brasil destacou em nota ao G1 que não existem outros tipos de epidemia de pneumonia no país e chamou de “notícia falsa” as informações da Embaixada da China aos veículos chineses.

De acordo com o governo do Cazaquistão, as mais de 1.700 mortes por pneumonia relatadas pela mídia chinesa no primeiro semestre de 2020 envolveram todos os tipos possíveis de pneumonia, incluindo casos de Covid-19 não diagnosticados.

Mike Ryan, diretor de assuntos de emergência da OMS, chegou a afirmar que a organização investigará o caso no Cazaquistão, no entanto, ele disse, “esses casos de pneumonia são provavelmente casos não diagnosticados de Covid-19.”

Paulo Lotufo, epidemiologista da Universidade de São Paulo (USP), concordou com as suspeitas da OMS após consultar o G1. Segundo ele, o Brasil vivenciou situação semelhante quando aumentou o número de mortes por síndrome respiratória aguda grave (SARS).

Registradas no Brasil, inicialmente não relacionadas ao coronavírus, com a pandemia de Covid-19, esse tipo de notícia mantém as pessoas em alerta, o que geralmente não acontece.

O número de Covid-19 no Cazaquistão também reforça o argumento de que a taxa de notificação é baixa: das 264 vítimas registradas, mais de 40% foram confirmadas apenas nos primeiros nove dias de julho – disseram fontes da imprensa chinesa , “Pneumonia fatal”.