Presidente da CPI não se segura e critica duramente Jair Bolsonaro

Como sabemos, estamos passando por tempos difíceis no Brasil, a pandemia do novo corona vírus pegou todo mundo de surpresa, porém felizmente já foram desenvolvidos alguns tipos de vacina para a cura do vírus. Porém diante disso tudo, Jair Bolsonaro desde então, foi muito criticado por suas atitudes em relação ao corona vírus, sendo até citado em matérias internacionais em revistas como NewYork Times, The Guardian e Le Figaro.

Bolsonaro, também foi assunto na CPI da COVID , onde o presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM), o mesmo criticou duramente decisões do presidente Bolsonaro em relação a COVID19, e o possível negacionismo do mesmo em relação a COVID19.

Omar, começou dizendo que os procedimentos de isolamento social e distribuição vacina no território brasileiro são inadequados, fazendo o pais se atrasar em relação a demais países na questão saúde.

Segundo informações tiradas da CPI, existem provas suficientes que informam que houve crimes sanitários e contra a vida cometidos pelo governo de Jair Bolsonaro. Ele ainda informa que todos que deram informações, ou estavam na CPI podem ser investigados.

Omar de Aziz ainda deu entrevista a revista britânica Reuters, o mesmo informa que o presidente Jair Bolsonaro é lider de uma grande nação, que seu comportamento é totalmente inadequado, e que tais comportamentos prejudicam a imagem do pais de forma internacional e também prejudica a imagem para os próprios moradores.

Omar ainda argumentou, e sugeriu que para se ter uma mudança verdadeira na situação do país Bolsonaro deveria se vacinar contra o vírus da Covid-19. Omar ainda informa que Bolsonaro precisa se vacinar, assim dessa forma seria possível incentivar os seus apoiadores e não apoiadores a se vacinarem e também, já que muitos não acreditam na eficácia da vacina, e até dizem que a mesma traz malefícios a saúde (versão não oficializada pela Organização Mundial da Saúde).

Omar ainda em entrevista, aproveita o seu tempo de fala pra fazer a comparação do atual presidente com presidentes de demais países. Ele diz que o presidente tem atitudes consideradas radicais que lembram alguns presidentes como Joe Biden (EUA), Boris Johnson (Reino Unido), Vladimir Putin (Rússia), e ainda lembra que ambos eram polêmicos em suas decisões e causam grandes controvérsias para o público local.

Jair Bolsonaro desde então não respondeu Omar, e não houve nenhum tipo de argumentação de seu partido sobre o caso, assim deixando seus apoiadores e diversos brasileiros curiosos sobre a sua possível versão ao caso.