Pastor que orou e pediu a morte de Paulo Gustavo será processado por homofobia

Enquanto muitas pessoas rezam pela recuperação do ator e humorista, Paulo Gustavo, que se encontra em estado grave e um leito de UTI, vítima da covid-19, há aqueles que torcem pela sua morte, como no caso do pastor da Assembleia de Deus de Alagoas, José Olímpio. Após zombar da corrente de oração pedida pela família e por amigos do humorista Paulo, o pastor vai ter que enfrentar sérios problemas com a justiça de nosso país.

Após a polêmica declaração nas redes sociais, diversas entidades LGBTQIA+ e grupos defensores dos direitos humanos, anunciaram que vão processar na Justiça o pastor que declarou estar orando pela morte do ator. Após diversas correntes de oração, em prol da recuperação de Paulo, o pasto disse o seguinte: “Eu oro para que o dono dele o leve para junto de si”.

Após a publicação repercutir nos últimos dias, o pastor acabou apagando a publicação, que para seu azar, já tinha alcançado diversas pessoas, causando revolta. A nota assinada pela Aliança LGBT diz que crimes como esse devem ser enquadrados na tipificação da LGBTfobia, com punições mais rigorosas e severas baseadas na lei de combate ao racismo de n. 7.716/2018.

“A pandemia que ainda segue em curso transformou o caráter de alguns e revelou o verdadeiro caráter de outros, fazendo com que pudéssemos separar o joio do trigo e sem nenhuma sombra de dúvidas fossemos capazes de compreender melhor o outro”, diz o texto do líder da Aliança LGBTQI+, Toni Reis,  que repudiou as hediondas ações do pastor, que fogem do que seria esperado de um líder religioso.

Paulo Gustavo está internado desde o início de março e, hoje, se encontra intubado na Unidade de Terapia intensiva, fazendo tratamento por ECMO, em que a oxigenação é feita por um pulmão artificial fora do corpo, que dá um descanso para que o órgão do paciente possa se regenerar.