Papa Francisco defende união civil entre homossexuais

O Papa Francisco disse em um filme que será lançado na Itália nesta quarta-feira dia 21 de outubro que os homossexuais precisam ser protegidos pela lei do Paquistão Harapan, esta é a maneira mais clara que Francisco já falou sobre os direitos LGBT.

Ele disse no documentário “Francesco”, “os homossexuais têm direito a viver em família, eles são a filha de Deus e têm direito a uma família. Ninguém deve ser abandonado ou insatisfeito com isso.”

Ele disse: O que precisamos fazer é uma lei da união civil, dessa forma, eles são protegidos pela lei, o discurso do Papa aparece no meio do filme. Ele discutiu temas que lhe interessavam, como meio ambiente.

Pobreza, imigração, raça e desigualdade de renda e as pessoas mais afetadas pela discriminação, o Papa Francisco tem demonstrado interesse no diálogo com os católicos LGBT, mas em geral sua mensagem é para acolher esses fiéis.

Ele enviou um sinal oculto, que pode ser interpretado como uma visão a favor da Liga dos Cidadãos, quando Cristina Kirchner era presidente da Argentina, o país legalizou o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Naquela época, ele não era o papa, mas o cardeal Jorge Mario Bergglio, de acordo com um texto de 2014 da organização “Religious News Service” (RNS), Bergrio chegou a afirmar que estava disposto a aceitar a União Cívica.

Como alternativa ao casamento entre pessoas do mesmo sexo, Filipe Domingues, graduado pelo Vaticano e Ph.D. pela Universidade Gregoriana de Roma, explicou que quando era cardeal, Berglio era a favor da união de cidadãos do mesmo sexo.

Ele se opõe ao casamento gay, mas concorda que estabilizar os direitos das pessoas nas uniões não é novidade, mas anunciou isso pela primeira vez em documentários como Francisco.

Em entrevista ao jornal Corriere della Sera em 2014, o Papa Francisco disse que a Igreja ensinava que o casamento é o casamento entre um homem e uma mulher, segundo a agência RNS, ele entende que o governo quer adotar a união de cidadãos para casais homossexuais por razões econômicas.