Pânico na RecordTV: teto do estúdio do Cidade Alerta e Balanço Geral desaba; há pelo menos 4 vítimas

Funcionários do estúdio da  RecordTV, no Rio de Janeiro, viveraqm momentos de tensão na  na noite da última sexta-feira (16/04). O  teto do estúdio onde é gravado o Cidade Alerta e o Balanço Geral desabaram, e deixaram todos em pânico. Alguns funcionários foram atingidos pelos escombros e precisaram de atendimento médico; bombeiros também estiveram no local, segundo as informações do portal UOL.

Em um comunicado, a assessoria de imprensa da emissora conta, que as vítimas do acidente, tiveram apenas ferimentos leves, e foram atendidos logo em seguida. O portal, Notícias da TV por outro lado, informa que um dos editores de texto do Jornal da Record, se feriu gravemente e foi levado para uma unidade hospitalar com urgência.

O editor de texto, Alex Cunha,  de 45 anos, está internado no Hospital das Clínicas de Jacarepaguá, após ferir gravemente uma das mãos. Ao que tudo indica, ele terá que passar por uma cirurgia.  Pelo menos 4 pessoas se tornaram vítimas do desabamento, segundo informações do colunista Léo Dias. Informações dadas pelos colunista, também indicam que uma pessoa foi removida pela ambulância, e que felizmente não houveram vítimas fatais.

De acordo com relatos de amigos de Alex, ele estava aguardando o encerramento do telejornal quando, junto com colegas, ouviu um estalo de dentro do estúdio onde são apresentados programas como “Balanço Geral” e “Cidade Alerta”. Todos acharam que eram trilhos de câmeras que estavam sendo arrastados. No entanto, cerca de 40 minutos depois, entre 21h, 22h, escutaram o mesmo barulho, mas com muito mais impacto. Perceberam, então, que algo estava acontecendo.

A RecordTV informou que o teto havia passado por reforma há pouco tempo após sofrer avarias causadas por fortes chuvas e que eventuais danos ao espaço serão apurados. A defesa Civil foi chamada para avaliar o local junto com seus técnicos e dará o laudo dizendo se o local precisará ou não ser interditado, conforme explicou o sargento Torres do Corpo de Bombeiros.