Pai abre o coração sobre o último pedido de Henry: ‘Deixa eu ficar mais um dia com você’

Henry Borel de apenas 4 anos de idade, chegou morto no hospital, após ser levado por sua mãe e seu padrasto. No momento, ambos estão presos, mas aqui fora, a morte do garoto deixou feridas eternas na família, principalmente no coração de seu pai, que era muito apegado a criança.

O engenheiro Leniel Borel, concedeu uma a entrevista à TV Globo, e falou um pouco sobre a perda de seu filho, morto no último dia 08 de março. O engenheiro conta, que Henry fez um último pedido, antes de voltar para o apartamento que morava junto de sua mãe Monique e seu padrasto, o vereador Dr. Jairinho. O vereador, é acusado de matar e torturar o garoto, enquanto a mãe deu consentimento aos atos.

Leniel afirma, que no momento que chegou no condomínio onde os acusados moravam, Henry pediu: Deixa eu ficar mais um dia com você”. No último momento em que pôde estar presente com seu filho, o pai afirma que ao entregar o menino para Monique, ela teria dito o seguinte: “Não papai, não quero ir. Me dá mais um dia”.

O pai afirma que teria dito para o filho, que não seria possível ficar com ele mais um dia, pois no outro teria que sair para trabalhar. Sua mãe também tentaria convencer o filho a ficar, dizendo que no outro dia ele teria natação e aula na escolinha de futebol que frequentava. O menino não queria ser convencido de maneira alguma, e teria dito: “Não mamãe, eu não gosto”.

A mãe, encobriu toda a história envolvendo a morte do próprio filho, deixando a todos chocados e revoltados, inclusive o pai de Henry. Eu não acreditava que a Monique como mãe poderia estar encobrindo algo nesse sentido, ou que tivesse esse tipo de participação. Porque mãe é mãe”, disse Leniel na entrevista. A investigação parece estar encontrando seu fim, e Dr. Jairinho será condenado como o assassino do menino Henry.