“Pago até R$ 1.000” se auxílio sair do salário de deputados, diz Bolsonaro

Presidente da República Jair Messias Bolsonaro vem sendo atacado diariamente por alguns veículos de mídia e opositores por não permanecer com os 600 reais do auxílio emergencial.

Mas por outro lado, apoiadores e grande parte da população entendeu e conscientizou pois o ano que vem, muitos falam da inflação e aumento de alimentos, bens e serviços.

Bolsonaro em discurso falou que sua ideia e da equipe econômica, é de duas parcela de R$300, e tem parlamentares que querem o valor de R$600, o presidente falou que se tirar do salário dos parlamentares, está tudo bem, então ele paga até R$1.000.

Disse mais que não eles não podem deixar esse povo todo sem trabalho e sem auxilio, porém agora o auxilio tem limite, pois não tem como as dividas do Brasil continuar crescendo dessa maneira.

O ministro da Economia Paulo Guedes, durante está reunião, já havia antecipado que a prorrogação do auxilio deve ser com duas parcelas de R$300, a serem paga quando encerrarem as três de R$600 programadas.

A Caixa Econômica Federal, atualmente está pagando a segunda parcela do Auxílio Emergencial aos informais, em datas divididas pelo mês de nascimento de cada beneficiário.

É esperada a divulgação do calendário completo de pagamento da terceira parcela, que começa a ser paga a partir do dia 17 para cadastrados do programa Bolsa Família.

Porém a ideia é prorrogar a ajuda para contribuir com a retomada da economia após a crise provocada pela pandemia do novo coronavírus, no entanto, o valor das parcelas, hoje em R$600, deve ser menor.