Negligência: Morre menina de dois anos após ter atendimento médico negado pelo hospital de Itabuna

No último sábado dia 5 de dezembro, uma menina de dois anos entrou na UPA Monte Cristo por conta de febre e vermes, a enfermeira da UPA instruiu os pais da menina a levá-la.

Ao hospital porque sua condição é grave e ela receberá os cuidados adequados, entretanto, isso não aconteceu. Ao chegar ao Hospital Manoel Novaes, próximo a Pontalzinho, seus serviços foram negados.

Os pais relataram à polícia que afirmaram não atender pacientes pelo SUS no hospital, os hospitais carecem de humanidade, porque todas as vidas valem a pena, e eles juraram salvar vidas e não se recusar a cuidar delas.

De acordo com o primeiro-ministro, um funcionário informou aos pais da menina que apenas visitas privadas eram realizadas no hospital, o estado da criança só vai piorar e cada vez que ela piora é quando os pais voltam com ela para a UPA.

Infelizmente, a criança entrou em um estado de ausência de sinais vitais, a criança morreu por volta das 8:40 da noite, seu funeral aconteceu no último domingo dia 5 pela manhã.

A Prefeitura de Itabuna divulgou nota informando que os pais foram orientados a levá-la a uma maternidade, pois na UPA ela só aceita COVID-19 adultos, no entanto, os pais da menina não seguiram as instruções.

Levaram ao Hospital Manoel Novaes, segundo a prefeitura, se o hospital for supervisionado por outro setor, o hospital só atende crianças pelo SUS, de acordo com as instruções, quando a criança foi levada novamente à UPA pelos pais.

Por volta das 8h30 da noite, ela não apresentava mais sinais vitais, ainda segundo a família, a menina teve diarreia, secreção de vermes pela boca e teve febre, o G1 tentou entrar em contato com a Santa Casa de Misericórdia, que administra o Hospital Manoel Novaes, mas nada foi devolvido.