Mulher vive tragédia familiar ao perder pais, irmão e marido com Covid-19: ‘um pesadelo’

Em meio a pandemia do coronavírus, uma mulher tem vivido um grande pesadelo.

Pois em 5 dias, pessoas importantes de sua família perderam a vida.

Paulina Cervajal, que vive no Equador, tem 39 anos, e lamentavelmente o coronavírus levou a vida de seus pais, seu marido, e seu irmão.

Pois a cidade Guayaquil no qual ela reside, está sendo assolada desumanamente pelo vírus.

A situação no local foi considerada como sendo uma das mais dramáticas da região conforme escreveu um jornal local.

De acordo com os números, no Equador mais de três mil vítimas perderam suas vidas, e 35 mil pessoas foram infectadas.

No entanto as autoridades internacionais, e até mesmo a própria população do Equador, questiona sobre a veracidade dos números apresentados.

Paulina, utilizou suas redes sociais para relatar o triste momento que está vivendo.

“Já faz mais de uma semana que a minha família vive um pesadelo. Ainda não consigo acreditar em tudo o que passamos. Isto está a rasgar o meu coração. Primeiro o meu amado pai, poucas horas depois o meu lindo marido e parceiro de vida, depois a minha linda mãe e por fim o meu lindo irmão”, relatou Paulina em sua rede social, bastante emocionada.

A equatoriana, de fique até pensou em desistir de tudo, porém está sendo forte por conta das duas filhas.

Ela tem se mostrado firme em sua fé e disse que para conseguir se reerguer, só pensar em suas filhas.

Em sua publicação ela aproveitou e fez uma pequena oração.

Após dois meses do acontecido, Paulina concedeu uma entrevista onde contou que toda a família foi infectada.

Porém os que estavam mais infectados foi o irmão, a mãe, o pai, e o marido.

Seu marido teve os sintomas 2 dias antes de morrer, ela revelou que ele tinha diabetes.

E quando ele procurava ajuda médica, sempre era mandado para casa.

Ele somente foi internado, quando não foi possível mais detectar muitos sinais vitais.

Paulina disse que está viva por um milagre.

Ela comentou ainda que não fazia ideia de como havia pegado o coronavírus.

Provavelmente ela deve ter pegado do trabalho, conforme ela mesmo disse.

Durante a entrevista ela aproveitou para denunciar a falta de testes rápidos no Equador, além do caos e colapso que se instaurou nos hospitais do país.