Mulher implora para que o assassino do seu filho seja liberto da cadeia: ‘ele não merece morrer’

Uma coisa extremamente extraordinária ocorreu na justiça da Argentina.

Uma mulher, surpreendeu o mundo todo, ao pedir que o assassino de seu filho fosse liberado da prisão.

A mulher que mora na Argentina surpreendeu o mundo ao pedir às autoridades para que o assassino do seu filho fosse liberto da cadeia.

Mas antes de entendermos essa história, vale entendermos uma medida presidencial.

Alberto Fernandez, o atual presidente da argentina, havia criado um plano de proteção para os presidiários, devido ao coronavírus.

O objetivo do plano, seria a transferência deles, a prisão domiciliar.

O presidente se viu na obrigação de fazer essa medida, depois que ocorreu diversos tumultos nos presídios de todo o país.

Pois, os espaços que esses presos estão confinados, é superlotado e muito mal higienizados.

É claro, a população argentina ficou dividida entre concordar e discordar da decisão.

Pois diversas pessoas acreditam que a justiça não será cumprida, e o preso acabe que nunca retornando a prisão.

Porém outras pessoas concordam em ampliar as liberações.

Mas o caso surpreendente ocorreu com Silvia Ontivero, que teve seu filho Alejo Hunau, assassinado, no município de Andina de Mendonza, em 2004.

Ele foi morto após ser atingido por uma garrafa de vinho na cabeça.

A vítima trabalhava como jornalista, no conselho local do governo.

Seu assassino, identificado como Diego Arduino, recebeu uma sentença de 16 anos de prisão.

No dia 28/04/2020, a juíza do caso afirmou que Diego, estaria em situação de risco na região, por conta da doença.

Silvia, então fez o inesperado, ela concordou e reconheceu os riscos que o COVID-19, pode oferecer ao Diego, assassino de seu filho.

Em uma carta para a juíza, Silvia escreveu:

Eu tive raiva. Eu tive ódio. Mas eu nunca desejei que ele morresse”.

“Estamos falando de algo diferente agora. Uma pandemia. Há superlotação nas prisões e posso imaginar o medo que as pessoas lá dentro estão sentindo”.

Em uma entrevista, a mulher contou que não deseja a morte de Diego, logo, se ele fosse colocado na prisão, seria o mesmo que sentenciá-lo a morte.