Motoboy negro é impedido por moradora de entrar em condomínio de luxo: “Não vou permitir esse macaco”

Moradores do luxuoso apartamento de Goiânia (GO) Aldeia do Vale impediram o motociclista Elson Oliveira, de 39 anos, de entregar hambúrgueres de sua casa na noite desta segunda-feira dia 26 de outubro, porque o entregador era negro.

“Esse negro não vai entrar no meu apartamento, o morador disse, mande outro motoboy branco, a gerente de Hamburgo, conhecida como Carol, ficou muito brava e se recusou a trocar o entregador.

Em seguida, os moradores continuaram, “não vou permitir esse macaco,” apartamentos de luxo na capital da Aldeia do Vale, Goiás, possuem casas que custam até 5,7 milhões de reais.

“Como você sabe, eu cuido da lanchonete do meu irmão, ontem à noite fizemos um pedido na Aldeia do Vale, quando o entregador chegou, pedi a ela que liberasse o porteiro para que ele pudesse entrar.

Usei essas palavras como resposta,” divulgado pelo gerente, discutiu publicamente e demarcou perfis de policiais civis, militares e federais no perfil de hambúrguer, Elson, pai de três filhos, entregador há 12 anos, vai se apresentar à polícia na tarde desta terça-feira 27.

“Esta situação é muito delicada e estamos indignados com isso, o mensageiro disse que as pessoas que trabalham na área estão passando por uma situação muito dolorosa.

O dono de uma lanchonete condenou um cliente por ser negro e por isso proibiu o entregador de entrar no apartamento luxuoso onde ela morava. A mulher ainda vai mandar mensagem pelo app de entrega.

“Não permito esse macaco”, o empresário disse ao Portal G1 que entraria com uma ação contra a polícia, o aplicativo Ifood relatou que havia identificado os usuários infratores e imediatamente os banido da plataforma, a nota dizia, “a empresa expressa sua solidariedade ao pessoal de entrega e está entrando em contato com eles para fornecer apoio psicológico.”