“Morreu porque tinha que morrer”, diz médico que operou MC Atrevida

Na segunda-feira (3), o médico que operou MC Atrevida, que logo após veio a falecer, prestou depoimento, as informações veio do jornal ‘O Dia’ . O médico equatoriano chegou a delegacia da Vila Isabel, no Rio de Janeiro de cadeiras de rodas pois recentemente sofreu um AVC.

Em um trecho de seu depoimento, Garlaza disse aos policiais que realizou muitas cirurgias cerca de 4,6 mil procedimentos referente ao longo de sua trajetória profissional.

E dadas as circunstância ela morreu porque tinha que morrer, conforme deu o seu depoimento. O responsável pela a investigação disse que agora é encontrar o erro médico, no qual levou a morte da MC.

A morte da MC Atrevida veio a tona, e levou muitos debates para a procura de um bom médico com um bom histórico positivo, quando qualquer pessoa tende a fazer uma intervenção cirúrgica.

Pois qualquer erro médico pode levar a morte do paciente, como vários casos de outros famosos que deram a cirurgia errada ou que levaram a morte, por conta de erro dos médicos.

Ainda não se sabe ao certo se realmente a a morte da MC Atrevida, foi erro médico mas ainda sob investigação pela policia, a cantora veio a falecer com 43 anos no dia 27 de junho,  após ser submetida a uma hidrolipoaspiração na clínica Rainha das Plásticas.

Segunda a defesa do médico ele sofreu derrames após a cirurgia de Fernanda Rodrigues, por isso o depoimento dele tinha que ser adiado um dos membros da família falou.

” Eu falei à polícia que ele não estava em condições para dar seu depoimento mas trouxemos para mostrar nossa boa vontade”. Ele pouco pode acrescentar sobre o episódio mas disse que não se lembra em ter acontecido nenhum evento problemático no procedimento.