Morre bebê de 5 meses que precisava do remédio mais caro do mundo

Morre neste sábado a bebê Aysha Goerigk, de cinco meses, ela morava em Americana, em São Paulo, ela ficou muito conhecida nas redes sociais por causa da sua necessidade, ela estava precisando de um remédio para sobreviver, só que esse remédio é o mais caro do mundo todo.

A criança, pouco após o nascimento, recebeu diagnóstico de Atrofia Muscular Espinhal, uma doença genética rara, progressiva e muitas vezes letal, que afeta a capacidade do indivíduo de caminhar, comer e, em última instância, respirar.

A mãe da criança de cinco meses conta que o médico dela tinha falado que ela não podia engravidar, e depois desse diagnóstico ela veio à engravidar de sua pequena e disse que era um grande milagre para sua família, ficaram tão felizes ao saber que ela iria ser mãe.

A família da criança de cinco meses começou a fazer uma campanha para recadar o dinheiro para comprar esse remédio que dizem que é o mais cara do mundo, ele custa em dólar americano 2,1 milhões, e em reais ele custa 11 milhões de reais.

Esse remédio Zolgensma, conhecido como o remédio mais caro do mundo e utilizado em pessoas com até dois anos de idade que são portadoras da AME, isso ajuda elas a se fortalecerem em todas as questões mas ainda não existe aqui no Brasil.

A criança não conseguiu resistir e veio à falecer, na tarde de sábado foi divulgado para todos na imprensa e nas redes sociais da menina onde estavam fazendo a campanha para recadar o dinheiro para comprar o remédio para a pequena.

Todos ficaram triste com a notícia da morte da menina Aysha, e com muita tristeza em seus corações, seus pais ficaram muito tristes por ser sua pequena filhinha e não poder ter feito nada para mudar isso, sem ter condições de comprar esse remédio para ajudá-la.

Na publicação de seus pais eles falaram,“Hoje é um momento triste, sofrido e de muita dor. Nossa pequena partiu e está no colo do pai. Tentamos tudo que foi possível“, estamos muito triste com isso mas Deus vai confortar nossos corações.