Médico de Bolsonaro causa polêmica ao dizer que vacina contra Covid-19 matou brasileiro; áudio viraliza

O médico do presidente Jair Bolsonaro, o cirurgião Antonio Luiz Macedo participou de um polêmico episódio que se tornou viral e Isso causou muitas críticas, no áudio que começou a circular na internet.

O profissional parecia dizer erroneamente que a vacina contra a Covid-19 matou um voluntário brasileiro e que as pessoas não deveriam usar cobaias como objeto de desenvolvimento da vacina.

A polêmica declaração circulou no grupo WhatsApp e, após contato com a Folha de S. Paulo, o cirurgião confirmou ser o autor do áudio, na gravação de cinco minutos, Macedo se autodenominou “cirurgião do aparelho digestivo.

Bem conhecido em todo o Brasil”, exigiu “respeito aos brasileiros” e disse que o teste imunológico precisa ser levado mais a sério, uau, então o médico de 28 anos não tem permissão para morrer por testar a vacina.

O pobre médico de 28 anos que morreu com a vacina “espancou o médico, o polêmico discurso de Antonio Luiz Macedo não continuou porque um médico brasileiro que foi voluntário das pesquisas.

De imunologia desenvolvidas pela Universidade de Oxford morreu de complicações do Covid-19, além disso, o homem de 28 anos não recebeu a vacina no momento do teste, mas sim um placebo.

Que não teve efeito sobre a eficácia ou efeitos colaterais, ele faz parte da equipe de controle do processo de teste, política implementada pela maioria dos laboratórios durante a avaliação dos procedimentos de imunização.

Ainda circulando no áudio de cinco minutos, Macedo parece ter se fixado no governador de São Paulo, João Doria, que defende a obrigatoriedade do uso da imunização contra o Covid-19 em São Paulo.

Mas confirmada por médicos, exceto para pessoas restritas, segundo Macedo, é o médico do paciente que autoriza a vacinação, não o prefeito, o governador ou mesmo o presidente, todos com direito a atuarem como leigos, por fim, o cirurgião mencionou no áudio que a Covid-19 não “matará ninguém” se for tratada de forma eficaz.