Luto: Morre grande apresentador, ele foi encontrado morto com marcas de tiros e familiares e amigos ficam se acreditar. “Descanse em paz”

Infelizmente, mais um apresentador foi assassinado a tiros enquanto pilotava seu veículo. A vitima dessa vez foi Jacinto Romero Flores, aos 60 anos. Seu filho Germán Romero, o mesmo informou que o apresentador havia feito um caminho diferente, pois o mesmo foi tentar “ajudar uma pessoa”. Seu filho Germán informou que Jacinto tinha denunciado centenas de ameaças feitas a ele por trabalhar por jornalista, pois recentemente diversos jornalistas estão sendo ameaçados por máfias.

 

Diversos portais confirmam que Jacinto recebeu centenas de ameaças em suas redes sociais incluindo o WhatsApp, o mesmo teria divulgado e participado de fortes matérias fazendo denuncias a polícia em Texhuacán, sul de Veracruz, a matéria em questão falava sobre abusos de autoridade dos policias em questão e abordava conflitos envolvendo funcionários municipais e familiares.

 

Infelizmente desde o ano de 2000, já foram registradas 141 jornalistas mortos por causa do trabalho jornalístico no México, a morte tem como objetivo a retaliação e possível queima de arquivo. Queima de arquivo é o nome dado ao assassinato com objetivo de vetar possíveis informações criticas a algum caso ou a alguma pessoa, no Brasil essa pratica também vem crescendo, por motivos políticos inclusive.

 

O escritório de Direitos Humanos também emitiu uma nota sobre o caso:

“O assassin4t0 de Jacinto Romero, assim como as ameaças que recebeu anteriormente, evidenciam o contexto de vulnerabilidade e risco em que muitos jornalistas mexicanos são obrigados a realizar seu trabalho. Relatar, dar opiniões ou criticar deve ser um trabalho normal em uma democracia e não uma atividade de risco. Quando aqueles que usam microfones enfrentam as balas, a sociedade perde “Jesus Peña, representante adjunto no México do Alto Comissariado, disse UN pelos Direitos Humanos.

 

O México atualmente é considerado um dos países mais perigosos e mortais parar se exercer a profissão de jornalismo, segundo dados da Comissão de Direitos Humanos (defensoria), pois diversas máfias politicas e narcotraficantes estão sendo denunciadas, por este motivo a revolta dos infratores tem resultado em uma onda violenta de agressões e assassinatos.

 

Um pouco mais recente em 2020, foi averiguado que mais de oito jornalistas foram mortos, e centenas feridos levemente ou gravemente restando sequelas mentais e físicas segundo a RSF. Mais de 90% dos homicídios de repórteres no país continuam impunes, fato que foi denunciado por organizações de defesa do direito de expressão, porém ainda continua sendo investigado soluções e alguns casos estão sendo averiguados pelo país.

 

A morte de Jacinto ainda gerou uma grande onda de revolta pelo México, gerando passeata com pedidos de justiça, protestos em redes sociais, e mensagens fortes de saudade e homenagem ao mesmo que deixou uma grande saudade para seus parentes e companheiros de trabalho. O mesmo também era conhecido por famosos trabalhos como radio jornalista, o mesmo além de ter talento para o jornalismo televisivo tenha aptidão para o jornalismo via rádio.