Luto: a música brasileira chora morte com Roberto Carlos; uma triste perda

O grande cantor brasileiro, conhecido por ser o Rei da Música Brasileira, sofreu uma grande perda na última quarta-feira (30/03). Faleceu na madrugada de ontem, o organista Lafayette Coelho Varges Limp, aos 78 anos de idade. O músico, foi acometido por uma grave pneumonia, e não resistiu as complicações da doença.

Lafayette ficou conhecido, por gravas discos clássicos de Roberto, nos anos 60, sendo considerado, um doa músicos que definiu a sonorização da conhecida como Jovem Guarda. O música estava internado no Hospital Getúlio Vagas, na cidade do Rio de Janeiro, mas infelizmente veio a falecer ainda no leito.

O corpo do músico, será às 16:00 de hoje (01/04), no crematório São Francisco Xavier, no Caju. O carioca, após seu longo trabalho com Roberto Carlos, acabou sendo descoberto outra vez, por uma turma mais nova, e acabou compondo o grupo conhecido como “Os tremendões”, estrelando diversos shows, e até mesmo dois álbuns.

Lafayette é um dos frutos da da turma do Rock da Rua, de onde saíram grandes nomes da música brasileira, como o próprio Roberto Carlos, e até mesmo Tim Maia e Erasmo Carlos. Com esse último, o pianista e organista, trabalhou em um disco com a gravadora RGE.

Em uma entrevista para o Jornal O Globo em 2015, ele contou um pouquinho sobre seu trabalho com Erasmo. “Tinha um órgão no canto da sala, eu tirei a capa dele e comecei a tocar. O Erasmo ouviu e falou: ‘É isso, vamos botar isso aí no disco!”.

Lafayette teve como umas de suas memoráveis participações em músicas do Rei, os sucessos: “Quero que vá tudo para o inferno”, e “Não quero você triste”. O músico, já chegou até mesmo a ganhar um disco de ouro, com uma produção própria, aonde ele tocava músicas de sua própria autoria, mescladas a  versões instrumentais de trilhas sonoras famosas.