Jornalista é suspeito de matar a própria irmã e polícia investiga se mãe ajudou no crime

Que poderia dizer, que uma advogada formada, que havia defendido a honra de várias pessoas, uma defensora nata dos direitos humanos (como diziam todos que a conheciam), poderia encontrar seu trágico fim, no conforto de seu lar, e pelas mãos da própria família.

João Paulo Mourão de 36 anos, jornalista formado e de profissão, é o principal suspeito de assassinar a própria irmã, dentro da própria casa. A advogada Izadora dos Santos Mourão, encontrou seu triste fim, quando lhe foram desferidas uma série de 7 facadas na região do pescoço, na casa aonde moravam seu irmão João e sua mãe.

O crime parece ter ocorrido na manhã de sábado (13/02), mas o inquérito ainda não chegou a uma versão concreta do que teria motivado o irmão a cometer esse crime brutal. A família chegou até mesmo a mentir em um depoimento, dizendo que uma mulher havia entrado na casa naquele sábado, para prestar algum serviço a Izadora, e então assassinou a moça daquela forma.

Essa versão do crime foi descartada quase que imediatamente, pois foi constatado que ninguém haveria entrado na casa naquele dia. Parece que até mesmo a mãe dos irmão teria uma participação no crime, já que havia chamado uma faxineira para limpar o sangue da filha.

Ainda não se sabe se tudo não passou de um ato de desespero da mãe, ou se não foi uma forma de acobertar o filho. Nas redes sociais, pode-se ver o quanto os irmãos nutriam carinho e afeto um pelo outro, mas a verdade fora das redes parece ser outra, já que parece que os dois brigando e criando rixas um com o outro.

Em uma postagem em sua conta no Facebook, João postou um texto de felicitações pelo aniversário de sua irmã, seguido de uma foto com a mesma, que dizia o seguinte: “Nessa semana foi o aniversário da minha linda irmã. Bonita, inteligente, educada, humilde, excelente filha, mãe amorosa, e acima de tudo dona de um coração puro e cheio dos mais bonitos sentimentos. Te amo. Deus te abençoe princesa”.

Mas quem diria que o escritor de um texto que demonstra um sentimento tão bonito, seria capaz de ceifar a vida da irmã de um forma tão brutal? O caso chocou o Brasil, e segue em apuração até o momento.