Filho suspeito de matar a mãe em SP fez post nas redes sociais após crime: ‘Minha eterna rainha’

 Bruno Eustáquio, de 23 anos, é o principal suspeito de matar a própria mãe no final do ano passado.  O crime horrendo e chocante, teve o seu inquérito finalizado no início da semana, e agora a a polícia está a procura do assassino da própria mãe, que até o momento ainda não foi localizado.

Bruno, que é bacharel em em Direito, está sendo acusado de homicídio doloso, que acontece quando se há a intenção de tirar a vida do próximo. O homem foi tido como o assassino, após a polícia ter acesso às câmeras de segurança, da casa em que mãe e filho se encontravam.

Nas imagens, Bruno aparece agredindo sua mãe com uma sequência de socos, e após isso, asfixiando ela. O assassinato de Márcia Lanzane, foi registrado em dezembro de 2020, no Guarujá, no litoral paulista, mas só teve investigações concluídas no último dia 31 de maio.

Para tentar não levantar suspeitas a respeito do crime, o homem ainda postou uma falsa homenagem para a mãe nas redes sociais, e pôde contar com o apoio de familiares e amigos. Te amarei para sempre. Obrigado por tudo meu amor. Minha eterna rainha”, postou Bruno em sua conta no Facebook, seguido de uma foto ao lado da mãe, que havia sido morta por ele mesmo poucas horas antes da publicação.

As suspeitas sobre o bacharel começaram, após a polícia notar certas incongruências nos relatos apresentados por ele. A versão dele é que, realmente, teve uma discussão, uma briga, arranhões, mas até então ele negava o estrangulamento. Agora, com as imagens, ele confessa que apertou o pescoço dela para imobilizar, e não para matar. Ele alegou que, depois disso, houve um pequeno desmaio da mãe, mas que ela não morreu naquele instante”, conta o advogado de Bruno.

O homem se mudou da casa em que morava com a mãe por pressão familiar, e também por receber ameaças nas redes sociais. Bruno parece ter deixado seu endereço disponível para a polícia, que até o momento, ainda não efetuou sua prisão.