‘Fazia tudo isso rezando Ave Maria’: abusos de João de Deus são narrados pelas próprias vítimas

A rede de streaming da Globo, Globoplay irá lançar um documentário “Em nome de Deus”, que relata as centenas de abusos realizadas por João de Deus, onde uma das vítimas ressalta em uma exibição exclusiva feita pelo Fantástico “Fazia tudo isso rezando Ave Maria”. 

O documentário “Em nome de Deus”, que foi produzido pelo jornalista Pedro Bial e sua equipe irá estrear esta semana pelo serviço de streaming da Rede Globo, no último domingo, dia 21 de junho, o programa Fantástico mostrou trechos ainda não vistos do documentário. 

A proposta do documentário é fazer as vítimas reviverem o ocorrido em um debate frente a frente com outras vítimas que tem histórias de abuso contra João de Deus. Antes da exposição do médium a mídia, várias acusações foram realizadas e levadas a mídia, no entanto ainda não haviam tido o mesmo alcance e visibilidade ao público. 

Através do programa Conversa com Bial, programa comandado pelo jornalista da emissora Globo, que foram surgindo as primeiras denúncias que levaram a notoriedade e exibição dos abusos que eram realizados pelo médium. 

João Teixeira de Faria(João de Deus), de 78 anos começou a prática do espiritismo por volta da década de 80, tendo como tutor Chico Xavier. João de Deus ao longo do período foi acusado de abusar sexualmente de centenas de mulheres, inclusive muitas estrangeiras após várias excursões que o médium fez para o exterior. 

Seu caso veio a tona no final de 2018 quando foram realizadas mais de 300 denúncias sobre abuso sexual direcionados a João, que após a apuração do caso em 14 de dezembro foi solicitado sua prisão preventiva pela justiça do estado de Goiás. Após ser considerado foragido em 16 de dezembro de 2018, se entregou e foi preso. 

O Caso teve repercussão mundial, muitas organizações espiritas, famosos se pronunciaram sobre o ocorrido, inclusive algumas figuras marcantes como Oprah Winfrey. Desde que a denúncia no programa de Pedro Bial levou ao conhecimento do público as denúncias, João de Deus nunca assumiu nenhum dos abusos e atualmente permanece preso em uma penitenciária de Goiânia.