‘Eu agarrei a minha filha e esperei o ônibus cair’; sobrevivente de tragédia do ônibus emociona com relato

O dramático testemunho de uma mãe no ônibus que desabou da Ponte Torta na BR-381 de João Monlevade atinge a todos. Ela não pôde fazer nada, porque quando percebeu que o veículo estava prestes a cair.

Ela não teve tempo de pular, “eu apenas a agarrei e esperei o ônibus cair, não havia como pular, infelizmente, alguém na primeira fila pulou, infelizmente, ninguém teve que ficar no ônibus e esperar por isso ocorrer.”

A jovem Diane dos Santos recebeu alta do hospital e pode seguir viagem com destino a São Paulo. Sua filha a acompanhou quando ela caiu do viaduto do Viaduto Mineiro.

A mulher disse que não conseguiu sair do carro antes de cair e relembrou o momento horrível em que aconteceu o acidente, felizmente, mãe e filha conseguiram sobreviver a essa tragédia.

Outra história para contar é Solange Pereira da Silva, que conseguiu pular antes que o ônibus despencasse do viaduto, ela disse que viu pessoas pulando e decidiu pular também.

Ela caiu no chão e disse que só recuperou a consciência quando estava no hospital, embora tenha sobrevivido, ela ainda não sabe o paradeiro de seu filho, segundo relatos, um dos socorristas cuidou de seu filho e garantiu a ela.

De acordo com relatórios da polícia, havia 46 pessoas no ônibus. Infelizmente, essas 18 pessoas foram mortas nesta tragédia. No Hospital Margarida, em João Monlevade, 10 vítimas de acidentes ainda estão internadas.

Três pacientes precisam ser levados para João XXIII, capital de Minas Gerais, Belo Horizonte, o motorista do veículo também pulará e fugirá, segundo a ANTT, órgão responsável pelo transporte terrestre.

O veículo não foi autorizado a ser utilizado com veículos de passeio, as autoridades competentes estão investigando a causa do acidente, mas a principal suspeita é de que haja um problema com o freio do ônibus.