‘Estou à base de remédios’, diz pai de menina de 6 anos que morreu após ser torturada no Rio

Na tarde de ontem, noticiamos o triste fato, de que a menina de apenas 6 anos de idade, que havia sido torturada pela mãe e pela madrasta, não havia resistido às agressões e infelizmente veio a óbito. A garota chegou no hospital em uma estado muito debilitado, e havia até mesmo entrado em uma coma gravíssimo. Ketelen Vitória Oliveira da Rocha, faleceu em decorrência de uma parada cardíaca, e deixou seu pai arrasado com a perda.

O homem, foi responsável por fazer a liberação do corpo da filha na polícia técnico-científica de Resende, no interior do Rio de Janeiro. e após isso, deu uma entrevista ao jornal Folha de São Paulo. Roger Fabrizius, que é trabalhador autônomo e tem 32 anos de idade, falou de maneira rápida com a equipe de reportagem, e revelou só estar calmo, por que estava “à base de remédios”. “Estou arrasado, com o nervo à flor da pele, tentando deixar a ficha cair”, afirmou homem.

Ketlen Vitória, será sepultada no dia de hoje (25/04),  em Japeri, na região metropolitana do Rio de Janeiro. Ainda em entrevista, Roger afirma que ficou sabendo sobre as barbáries que as duas mulheres cometeram contra sua filha, através das redes sociais de familiares. O homem conta, que chegou a ver sua filha intubada em um estado clínico muito delicado, mas estável. Por fim, ele conta que há mais de um ano, não via sua filha, desde que havia se separado da mãe da criança.

As duas acusadas pelo crime,  tiveram prisão preventiva decretada na última quarta-feira (21), após determinação do juiz Marco Aurélio. Gilmara Oliveira de Farias, de 28 anos, mãe da criança, e Brena Luane Barbosa Nunes, de 25 anos, madrasta da menina, assumiram a autoria das ações em depoimento à polícia. A apuração do caso está a cargo da 100ª DP, em Porto Real (RJ), onde diversas testemunhas já foram ouvidas.