Especialista alerta sobre variante Delta e diz se é preciso se preocupar com as crianças: ‘É muito grave’

O COVID-19 vem se tornando uma das doenças mais assustadoras dessa década, com uma potência assustadora e mortal, a doença destruiu diversas famílias e deixou sequelas pesadas em algumas vitimas. Felizmente a medicina conseguiu avançar e já desenvolveu o imunizante para esse mal que nos afetava, porém algumas coisas ainda assustam os especialistas no assunto.
A variante Delta é o que preocupa os especialistas, ela se tornou um grande pesadelo durante a pandemia do Corona vírus. A nova cepa da Covid-19 possui diversas características novas, pois ela tem um índice maior de transmissão em relação anterior do vírus. A declaração foi realizada em uma live feita junto à Secretária de Saúde da cidade mineira de Juiz de Fora.

Logo no inicio da transmissão ao vivo, a médica e pesquisadora, Ana Pimentel, destacou que a nova cepa tem total chance de se tornar a principal no pais, também pelo fato dela conseguir ser transmitida com maior potência. A nova variante é uma variante de origem indiana cujo tem o poder de transmissão 5 vezes maior do que a versão tradicional, segundo a especialista, a cada 100 pessoas contaminadas podem acabar infectando mais 600, ou seja o vírus pode se multiplicar basicamente em 6. Inclusive, explicou que as máscaras do tipo PFF2 são mais eficientes para evitar a distribuição do vírus.

A especialista, pesquisadora da Fiocruz, explicou que segundo pesquisas já tinha uma certa previsão de aumento de casos e de transmissões após a variante. “A situação é muito séria, é muito grave! Mas não é algo que nos surpreenda”, disse a médica. A cidade já está sendo afetada pela nova cepa, já foram registrados 5 casos graves da infecção da doença.

Infelizmente, as pessoas que tomaram o imunizante para o COVID-19 não estão livres de serem contaminadas com a nova cepa do vírus, pois a mesma tem certa proteção ao imunizante. Por esse motivo, a médica alerta para que todas as pessoas tomem a 3ª dose cujo já foi anunciada e recomendada pelo governo. Essa dose é uma dose de reforço do imunizante, e será aplicada a partir de setembro na população.

 O objetivo desse novo calendário de vacinas é que esse reforço seja aplicado com a Pfizer. A informação é que a cepa que surgiu na Índia não respeita vacinados e afeta todos independente de idade ou fabricante do imunizante. Os infectados pela variante também acabam tendo diversos sintomas antes não apresentados pela COVID-19 em sua primeira versão, esse fato também está sendo averiguado, pois diversos sintomas que aparecem são desconhecido pelos médicos.

De acordo com a médica, as crianças tem sido as mais afetadas, sendo considerado algo natural, já que elas ainda não tiveram sua fase de imunização ao vírus. Porém a mesma tranquiliza e informa que as crianças não são o alvo principal da doença, embora sendo possível a cepa afetar esse publico.