Emissora e jornalistas da Record viram alvo de investigação policial e podem sofrer duras consequências

Uma recente notícia sobre o assassinato de um homem tem sido disseminado por internautas. O assassinato foi ocorrido no dia 13 segunda-feira, numa cidade no interior do estado de São Paulo, vitima de uma ação criminosa o rapaz veio a óbito logo após de ser apontado pelo assassinato de Priscila Martins.

Em um programa chamado Cidade Alerta da emissora Record e tem como apresentador jornalista Luiz Bacci. O rapaz chamado Alecio Ferreira Dias, de 41 anos de idade foi apontado pela emissora como o responsável criminoso pelo delito noticiário.

O corpo do rapaz foi encontrado com marcas de tiro no rosto, tórax e na perna. A Policia do estado de São Paulo começou um inquérito para ver se a emissora não cometeu um grande erro em mostrar em rede aberta o rosto do já falecido rapaz.

De acordo com a informação do jornal Folha de São Paulo, a emissora teria afirmado que Alecio seria o principal assassino no caso. O mesmo foi taxado como Serial Killer, por Luiz Bacci. Já acontece que essa grave acusação de Luiz Bacci venha trazer duros problemas na justiça para todos os jornalista responsáveis, equipe de produção, para a emissora de televisão e para si mesmo. 

Em relato um policial cuja sua identidade foi revelada, diz ter provas concretas que afirma a acusação que a emissora fez, além de diversas outras informações passada nas questões passada. Nem mesmo tendo uma confirmação sobre a morte do rapaz,  sendo que seu corpo foi encontrado carbonizado e só pode ser comprovado com um analise de precisão de identidade após exames de DNA.

Acelio foi morto logo após que sua foto foi divulgado pelo programa “Cidade Alerta” sendo envolvido a um crime como suspeito, então Acelio foi morto, a policia do município de Salto, no interior de São Paulo afirma que o crime foi cometido por varias pessoas.

Em um boletim de ocorrência, o próprio filho da vitima relata que logo após a exibição do programa vários moradores daquela região se revoltaram e foram até a casa de Acelio chamaram-o para uma conversa, logo em seguida levaram  Acelio para um local desconhecido. Segundo relatos os autores dos crimes ainda colocaram fotos do corpo redes sociais.

O programa “Cidade Alerta” teria informações do suspeito como fotos e nome, entre familiares, amigos, testemunhas, e moradores da região, todos sabiam quem era. A investigação aponta que o pessoal era conhecido de Priscila, depois que seu corpo foi encontrado queimado e com marcas de tortura. 

O mesmo assassino de Priscila é acusado de vários crimes na região, então o programa Cidade Alerta decidiu não divulgar a identidade desse criminoso e pediu encarecidamente para que se os moradores soubesse seu paradeiro entra-se em contato com a policia e não fazer justiça com as próprias mãos.