Diabética, hipertensa e asmática: a história de superação da professora que venceu a Covid-19

Milhares de vítimas no mundo inteiro estão sofrendo com a pandemia do novo coronavirus.

O número de casos no Brasil vem crescendo consideravelmente, e o total de mortos chega a ser um número assustador.

Autor já somos mais de 500 mil infectados pela covid-19, e mais de 30 mil mortos.

Porém, mesmo com tantos casos de pessoas que perderam suas vidas existem diversas histórias de superação, de pessoas que se recuperaram da doença.

Um desses casos e o da professora Margarete Pereira Valente, que está com 50 anos de idade, ela foi diagnosticada pelo virus no litoral paulista, em Santos.

Ela é professora de libras e de educação especial.

Ela afirmou que sua vida mudou totalmente depois que contraiu o vírus.

Ela ficou 20 dias na UTI – Unidade de Terapia Intensiva, em 20 dias na enfermaria após contrair o vírus.

No dia 23 de março a professora sentiu muita falta de ar, além de muita dificuldade em sua respiração.

Os sintomas sentidos foram enjoos, fadiga e tosse.

Ela fazia parte do grupo de risco, pois é hipertensa, diabética, além de ter asma.

Ao procurar ajuda médica ela não imaginava o que estaria com o coronavirus.

Vou chegar no pronto-socorro, ela foi examinada, e logo em seguida ela recebeu a receita de um remédio.

Ela acabou sendo liberada para ser tratada em sua casa, pois até então não havia recebido a confirmação da covid-19.

Mas ela precisou retornar ao médico, no dia 28 de março, pois a dificuldade de respiração era muito intensa.

A diabetes e a pressão estavam totalmente descontroladas, a glicemia também não controlava nem sobre efeito de medicamentos.

Ela foi submetida a um raio-x internada logo em seguida.

“Tive momentos muito difíceis lá dentro. Achei que não iria sobreviver. Eu só pensava em como queria viver. Tive muitos sentimentos de morte. Tomava injeções todos os dias e insulina. Tive depressão, dias que não quis comer nada”, desabafou.

Mesmo com todas as dificuldades vividas no hospital ela sobreviveu, e provou que foi uma guerreira ao lutar pela sua vida.

Mesmo com todas as dificuldades vividas no hospital ela sobreviveu, e provou que foi uma guerreira ao lutar pela sua vida.