Delegado-geral de SP diz que PM do Paraná se confundiu e que Paulo Cupertino não foi preso

O delegado da Polícia de São Paulo, Rui Ferraz Fontes, disse que a Polícia Militar do Estado do Paraná vai anunciar que estão confusos, pois o ator Rafael Miguel e o assassino dos pais Paulo Cupertino não estão presentes.

Preso no norte do Paraná, o próprio Fontes já havia revelado que o assassino havia sido preso, na segunda-feira dia 26 de outubro, a polícia descobriu que Cupertino havia apresentado identidade com certidão de nascimento falsa em Jataizinho, norte do Paraná.

Ele usou o pseudônimo “Manoel Machado da Silva” como capa, no dia em que pediu nova identidade, o réu utilizou um endereço localizado em Ibiporã, a 8 quilômetros de Jataizinho.

Além do pseudônimo, a certidão contém também os diferentes nomes de seus pais, e sua procedência é no município de Rio Briante, no Mato Grosso do Sul, ambos os documentos foram cancelados.

O crime ocorreu na zona sul de São Paulo em junho de 2019, Paulo Cupertino foi acusado de Rafael Miguel e seus pais, o casal João Alcisio Miguel de 52 anos e o casal de 50 anos Miriam Selma Miguel disparou 13 vezes no corpo.

Ele não aceita a relação da filha com Rafael Miguel, em 19 de junho de 2020, o juiz converteu seu mandado de prisão provisória em medida preventiva, desde julho deste ano, Paulo Cupertino faz parte da lista de procurados da polícia de SP.

Em agosto deste ano, o órgão de identificação do Paraná recebeu a informação da Polícia Civil de São Paulo de que o réu poderia ter sido identificado em um país vizinho.

Depois que as impressões digitais foram enviadas de São Paulo para o Paraná, o instituto imediatamente fez uma análise e encontrou uma identidade falsa.