Delegado diz se jovem que praticou ataque a creche teve ajuda no crime bárbaro; novos detalhes impactam

Um ataque cruel e bárbaro em uma creche, no sul do país, deixou a todos horrorizados na última semana. Um homem munido com uma espécie de espada, invadiu a Escola Pró-Infantil Aquarela, na cidade de Saudades em Santa Catarina, e deixou 5 mortos no ataque. 2 professoras, e 3 crianças alunas da escola, acabaram perdendo a vida, para Fabiano Kiper, que queria matar a maior quantidade de pessoas possível.

Neste domingo (9), o programa “Fantástico”, da TV Globo, exibiu uma reportagem trazendo mais alguns detalhes da chacina ocorrida dentro da escola infantil. Com autorização da Prefeitura de Saudades, os passos do assassino e todo o cenário de desespero vivido pelas professoras e funcionárias da instituição foram revelados.

Quando o ataque começou, as crianças estavam distribuídas, em cerca de 5 para cada sala. Na sala, elas ficavam sob a monitoria de uma professora, e duas agentes educacionais. A primeira vítima do homem, foi a professora professora Keli, de 30 anos, que correu para a sala em que estava Mirla, de 20 anos, que também foi morta por Fabiano. Na mesma sala, o assassino feriu 4 crianças, das quais 3 não resistiram.

Em uma entrevista televisionada pelo programa “Fantástico”, o delegado responsável pelo caso,  Jerônimo Marçal, revelou novos detalhes a respeito do crime que chocou o Brasil. O delegado também revelou, indícios sobre a hipótese de que Fabiano teria agido sozinho. Na casa do homem, foram apreendidos diversos equipamentos para a investigação, inclusive um computador que já está sendo analisado por peritos.

Ele agiu sozinho, é o que a gente tem até agora. Não há qualquer indicativo de que outra pessoa tem auxiliado ele de alguma forma. Ele relatou a algumas pessoas no dia que aconteceu (chacina), que ele estava planejando há 10 meses”, disse Jerônimo, que conta ainda não saber das motivações de Fabiano. O assassino após os ataques, tentou tirar a própria vida com golpes da arma branca, mas foi impedido por populares, e levado para o hospital. No momento ele se encontra na enfermaria do Hospital Regional Oeste, após deixar a Unidade de Tratamento Intensiva (UTI).