Cela grande, vários banheiros e várias refeições: como é a cela em que Jairinho está vivendo

Jairo Souza Santos Júnior, de 42 anos de idade, mais conhecido com vereador Dr. Jairinho, foi detido no dia  de abril, após ser acusado de tentar atrapalhar as investigações a respeito da morte de seu enteado, o menino Henry de apenas 4 anos de idade, que foi levado já sem vida para o hospital, pelo parlamentar e mãe do garoto, Monique Medeiros da Costa e Silva. Ambos se encontram detidos na penitenciária de Bangu.

Nesta semana, após cumprir uma quarentena preventiva de 15 dias, devido a pandemia da covid-19, Jairinho pôde finalmente estar na presença de outros detentos, sendo transferido para uma cela compartilhada, no  Presídio Pedrolino Werling de Oliveira, no Complexo de Gericinó, conhecido como Bangu 8.

O parlamentar está sendo mantido em uma das maiores celas do complexo, a cela D, com mais de 70 metros quadrados, com capacidade para comportar diversos detentos. Diz-se, que a cela em que Jairinho se encontra, tem a capacidade para abrigar cerca de 44 pessoas, porém, não é isso que está acontecendo. O vereador, está dividindo a cela com apenas 6 outros homens, ou seja, está com bastante espaço livre.

Clayton Luiz Vieira, é um dos detentos que estão na mesma cela que Jairinho. Clayton é arquiteto, e foi detido no ano passado, na operação Sturm, pois era orientador da construção do condomínio Figueiras, que veio ao chão  e causou ao morte de mais de 20 pessoas. Além dele, ocupam a cela do vereador: Um homem que cometeu crimes contra a previdência social, através de um esquema de fraudes de benefícios do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS); um funcionário do aeroporto internacional do Rio que teria liberado a entrada de uma remessa de drogas ao estado; e outros dois presos.

A vida de Jairinho parece não estar nem um pouco difícil, já que a cela conta com  com cinco banheiros, três chuveiros e alguns beliches para serem divididos entre os 6 detentos, incluindo o vereador. Jairinho tem direito à 4 refeições diárias, além de duas horas de banho de sol no pátio do completo penitenciário.