Caso Miguel: porteiro do prédio presta depoimento e faz revelações

Nos últimos dias o Brasil ficou chocado com o caso do menino Miguel que morreu ao cair do nono andar de um prédio de luxo no Recife Estado de Pernambuco.

Nesta última quarta-feira, 10 de junho de 2020, atual porteiro do prédio, prestou depoimento a polícia.

Carlos Lopez, foi convocado pelo delegado para prestar alguns esclarecimentos a respeito da morte do garoto.

Conforme disso porteiro em seu depoimento a polícia, ele estava trabalhando no dia do acontecido e informou que o prédio não tem problemas em relação à proteção.

Todas as grades de proteção estavam em seu posicionamento correto, conforme as regras de segurança.

….“A casa de máquinas, o acesso, as esquadrilhas, tudo [estava] de acordo com as normas. Não existe obrigatoriedade de tela de proteção. A legislação existe para 1,10m e 1,20m. Lá está com 1,25m. A alvenaria seria com 1,10m e está com 1,15m. Está acima do que a legislação obriga“, disse o porteiro.

A mãe de Miguel, Mirtes levou seu filho em seu trabalho nesse dia, pois não tinha com quem deixá-lo.

Sua patroa Sarí Corte Real, solicitou que ela fosse passar com com seu cachorro, com isso Mirtes teve que deixar Miguel sob os cuidados de sua patroa.

Foi nesse período que a criança entrou elevador atrás de sua mãe.

Sarí, aparece nas imagens do circuito interno de segurança tentando impedir a saída de Miguel.

Mas como a tentativa foi frustrada, ela simplesmente apertou um dos botões de elevador e, e permitiu que Miguel saísse sozinho em busca da mãe.

Instantes após, lamentavelmente Miguel caiu do nono andar do prédio aproximadamente 35 m de altura do solo.