Caso Henry: denúncias de regalias a Jairinho e Monique vêm à tona e diretor do presídio toma decisão

É do conhecimento da maioria, que o vereador Dr. Jairinho, e sua esposa Monique Medeiros, estão detidos, devido a morte do menino Henry de apenas 4 anos de idade. Em penitenciárias diferentes, ambos vem cumprindo detenção preventiva imposta pela justiça. Porém, o que se sabe é que a vida de Jairinho dentro da prisão, estava sendo recheada de algumas regalias, e toda essa situação acabou repercutindo nos últimos dias.

Ricardo Larrubia da Gama, diretor do presídio José Frederico Marques, em Benfica, na Zona Norte do Rio de Janeiro, está sendo acusado de conceder benefícios para o vereador, acusado de matar o próprio enteado. Porém, o diretor solicitou sua própria saída após as acusações.

Antes de serem transferidos para outras penitenciárias, Jairinho e Monique foram levados ao presídio de Benfica, tido como porta de entrada no sistema prisional do Rio de Janeiro. Agentes penitenciários, que não revelaram suas identidades por questões de segurança, disseram em uma entrevista ao portal UOL, que enquanto Jairinho e Monique estiveram no presidio em Benfica, puderam durantes duas horas, se despedir com beijos e abraços, a pós isso, o vereador teria até mesmo ficado na sala do diretor, com direito a um lanche antes de ir para a cela.

A Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), publicou um boletim no último dia 12/04 , aonde anuncia a saída de Ricardo Larrubia da Gama, do cargo de diretor da unidade prisional.  Felipe Veigo Pimentel, subdiretor do presídio, também deixou seu cargo à disposição nesta semana.

Ambos, diretor e subdiretor, foram realocados no Instituto Penal Cândido Mendes, situado no Centro do Rio. Segundo a Seap, as imagens das câmeras de segurança foram encaminhadas ao MP-RJ. O órgão não precisou se haverá uma sindicância para apurar o caso.

Cumprindo uma prisão temporária de 30 dias, decretada pela polícia, Monique e Jairinho aguardam o desfecho do caso.