Camelô, esposa morta e doença grave: a história de Silvio Santos é a prova de que o mundo dá voltas

O maior comunicador da televisão brasileira, com toda certeza é Sílvio Santos.

No entanto, sua história é prova de que o mundo pode dar voltas.

No início de sua carreira, ele chegou a ser camelô logo que sua carreira começou.

Silvio santos completará seus 90 anos em dezembro de 2020, logo ele tem uma biografia bastante variada

Não demorou muito, em sua vida para que ele descobrisse, seu talento de empreendedor.

Silvio Santos, trabalhou nas forças armadas, como paraquedista e ao retornar a sua vida de empresário ingressou primeiramente no rádio, e logo em seguida na televisão.

Seu primeiro programa de TV foi estreado a quase 60 anos.

Seu programa foi ao ar pela primeira vez, na TV Paulista em 1962, no programa Vamos Brincar de Forca.

Foi questão de tempo, para que o programa mudasse totalmente de nome, onde incluiria o nome do apresentador.

Foi então que surgiu o Programa Silvio Santos, que até hoje está no ar.

Ele é casado hoje em dia com sua esposa Íris Abravanel.

Íris foi a sua segunda esposa.

Seu primeiro casamento foi com Maria Aparecida Vieira Abravanel, que faleceu em 1977 aos 39 anos de idade devido a um câncer.

Um ano após a morte de Maria, Silvio estava casado com Íris.

Ele teve uma filha biológica com a sua primeira esposa, Cíntia, e decidiu também adotar uma criança, Silvia Abravanel.

Já com a segunda esposa vieram mais quatro herdeiras, a mais famosa delas é Patrícia Abravanel, que hoje é uma das apresentadoras do Sistema Brasileiro de Televisão – SBT.

Silvio, sempre se manteve em grandes polêmicas devido à sua carreira gigantesca.

Para fugir dos problemas que encontrava pelo caminho, ele teve que colocar em prática o que sabia fazer de melhor, que era empreender.

Foi aí que surgiram os títulos como a Tele Sena e o Baú da Felicidade.

Foram esses títulos que ajudaram a emissora de Silvio Santos conseguir verba para sobreviver, até os dias atuais.