Brinquedos do menino Gael teriam sido descartados em sacos de lixo antes do crime; defesa da mãe alega surto

A morte do pequeno Gael de apenas 3 anos de idade, repercutiu na mídia nos últimos dias, devido a forma que o garoto morreu, e pela principal suspeita ser sua própria mãe. Na manhã da última segunda feira (10/05), o Sistema de Atendimento Móvel de Urgência, foi chamado até o apartamento, que fica localizado em  em São Paulo, num condomínio de classe média alta. Ao chegar lá, o pequeno Gael estava desacordado, e teve uma parada cardiorrespiratória, morrendo antes de dar entrada no hospital.

A mãe da criança, Andréia Freitas de Oliveira, foi presa preventivamente sob suspeita do crime. No momento do incidente com o garoto, a tia-avó, alega que estava assistindo TV na sala, quando ouviu barulho na cozinha, aonde estavam a mãe e seu filho. O garoto estava deitado no chão com uma toalha de mesa o cobrindo. Na casa, viviam a tia-avó, Andréia, Gael e sua irmã de 13 anos de idade. A equipe do Samu, conta que o garoto estava coberto de hematomas de agressão.

A defesa da mãe, alega que a mulher sofreu um surto psicótico e por isso agrediu o próprio filho. A família de Andreia conta, que a mulher já foi internada algumas vezes, devido a problemas psicológicos, e sofreu efeitos adversos por causa de um medicamento para emagrecer. Porém, um detalhe chamou a atenção da equipe policial que apura o caso. Brinquedos do pequeno Gael, haviam sido jogados no lizo, como se a mãe quisesse se livrar dos objetos depois do crime.

 

A mulher está na  prisão de Tremembé, em São Paulo, desde a última terça feira, e já prestou depoimento a polícia. A tia de Gael, identificada apenas como Maria, conta que a mãe era muito carinhosa com seu filho, e que jamais havia dado sinais de que faria alguma coisa contra o filho.