Bonner e Renata trocam luto para falar de novela no fim do Jornal Nacional, e causam polêmica

Desde o início da pandemia da Covid-19 no mundo, o maior jornal televisivo do Brasil, comandado por William Bonner e Renata Vasconsellos, terminam a edição do jornal a cada 5 mil mortes pelo novo corona vírus no Brasil, com clima de luto. A tradicional vinheta de encerramento do jornal aparece sem som, e no telão são exibidos os casos fatais da doença no Brasil até o momento.

Mas nesta segunda-feira (01/03), o jornal mudou sua “tradição”, e causou polêmica e burburinho entre os internautas. Em sua última edição, apesar da marca de mais de 250 mil mortes pela doença ter sido alcançada em nosso país, os jornalistas encerraram o telejornal, com um anúncio sobre o retorno de uma novela da emissora, que havia sido pausada no começo da pandemia.

Já faz quase um ano a gente anunciou aqui a interrupção das gravações das novelas da Globo por causa da pandemia. Foi preciso fazer uma pausa para proteger a saúde das equipes”, anunciou o âncora e editor chefe do jornal, Wiliam Bonner. Com isso, as homenagens póstumas foram deixadas de lado, e muitas pessoas ficaram chocadas com o ocorrido.

“Hoje, a notícia é que no próximo dia 15, Amor de Mãe reestreia na Globo com capítulos inéditos. Os estúdios Globo retomaram a produção das novelas com todos os cuidados, seguindo protocolos de proteção”, continuou o jornalista.

“O Jornal Nacional faz uma edição toda voltada ao pior momento da pandemia, cheio de reforços (corretos) sobre o risco que corremos, mas encerra falando que as novelas vão voltar porque tá tudo bem. Oi?”, indagou um usuário do twitter, inconformado com a hipocrisia da emissora. 

O caso é que, a emissora se perde em seu discurso a favor do isolamento, ao reiniciar as gravações de uma novela, em um momento em que o avanço da doença está fazendo com que, os governos estaduais redobrem ações preventivas contra a doença.