Bolsonaro se defende e ataca Moro: ‘Pessoa que tem compromisso com o ego’

Essa última sexta- feira foi bastante agitada em Brasília, pois inúmeras coisas inesperadas aconteceram.

O dia já começou tenso, pois o ex-Ministro da Justiça Sergio Moro, pediu demissão.

Em uma entrevista coletiva concedida por ele próprio, ele anunciou que deixaria o Ministério da Justiça e Segurança Pública.

Se não bastasse ter pedido para sair, Moro disparou para a imprensa, diversas acusações contra o Bolsonaro.

E uma dessas acusações seria de que ele estaria tentando interferir na autonomia da Polícia federal.

A demissão de Moro ocorreu após a exoneração de Maurício Valeixo, ser publicada no Diário Oficial da União.

Maurício era Diretor-Geral da PF.

Conforme estava dito no Diário, Valeixo, deixou o cargo a pedido dele próprio, informação negada por Moro, durante a entrevista.

No DOU, consta a assinatura de Sergio Moro, contudo, ele nega ter assinado qualquer documento, e que a assinatura seria fraudulenta, visto que de acordo com o ex-ministro, só ficou sabendo da exoneração de Maurício, através do Diário Oficial, ou seja, ele não tinha conhecimento anteriormente da respectiva exoneração.

Mais tarde, chegou a vez de Bolsonaro, contar a sua versão dos fatos, e logo de cara, já disparou duras criticas a Sergio.

Bolsonaro faz uma recordação, sobre quando era deputado federal, ele disse que Moro o ignorou, quando o mesmo bateu continência a ele, e logo em seguida Sergio Moro não mostrou reação nenhuma.

O presidente conta que ficou extremamente magoado na época.

Sobre a acusação de interferência na Polícia Federal, Jair disse: “Será que é interferir na PF pedir, quase implorar, que apurem quem mandou matar Bolsonaro? Se dedicaram muito mais a investigar quem matou Marielle do que quem mandou me matar. No meu caso está mais fácil. prenderam o autor em flagrante”.
Relatou o presidente recordando o atentado que sofreu em Juiz de Fora, no estado de Minas Gerais, em 2018 durante sua campanha eleitoral, e do assassinato de Marielle Franco – PSOL-RJ, em março de 2018, na capital carioca.