Bolsonaro anuncia que pagará mais três parcelas do auxílio emergencial e diz quanto será

A covid-19 colocou a prova a união entre povo e governo que é necessária para e evolução de um país, muitos autônomos e trabalhadores precisaram restringir-se do direito de trabalhar devido a pandemia, com isso os assalariados deixaram de receber e passaram a acumular dividas. 

Com isso o Governo Federal lançou o projeto do Auxilio Emergencial que constitui em 5 parcelas onde 3 delas são no valor de 600 reais e as últimas duas os valores não foram definidos. Semanalmente o Presidente Jair Messias Bolsonaro e o Ministro da Economia Paulo Guedes, fazem uma live para atualizar a população sobre os prazos de pagamento das próximas parcelas. 

Na live desta terça-feira os cadastrados no aplicativo do auxilio emergencial da Caixa Econômica, receberam a notícia da divulgação do novo calendário da 3º parcela do benefício. Este assunto estava sendo um dos tópicos mais debatidos nas mídias sociais pela população, gerando muitos criticas ao governo. 

No entanto, Bolsonaro aproveitou da oportunidade para informar que os pagamentos da 3º parcela irão se iniciar neste sábado dia 27 de junho, ressaltando também que a possibilidade de expansão do auxilio também está sendo discutida entre os ministros.

As medidas governamentais para respaldar a população entraram em vigor após o decreto da Lei nº 13.982/2020. O combate ao coronavírus se estendeu mais do que o governo havia previsto, causando sérios danos a economia devido a grande queda no giro econômico e também a grande falta de pessoas atuando no trabalho e aumento gradual de desemprego. 

Outro setor que sofreu muito com a pandemia foi o setor da saúde, com grandes sobrecargas em seus leitos de UTI, funcionários sendo afastados por grande exposição ao vírus e pacientes muito acima do que as unidades suportam atender. 

Paulo Guedes informou que estão avaliando a possibilidade de aumentar o plano do auxilio em mais 2 parcelas, porém a situação econômica do país não permite que o valor de 600 reais se mantenha a todos, custo que gera cerca de 50 bilhões de reais ao governo mensalmente, os valores que estão sendo debatidos são de 500 reais, 400 e 300.