Bebê prematuro de arquiteta que foi vítima fatal da Covid-19 morre horas após a mãe: ‘Doença destruiu’

 Andressa Grassi, é  uma arquiteta de 27 anos que morreu na última terça-feira (27), por complicações da Covid-19. A mulher chegou a ficar internada em um leito de uma Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), por cerca de duas semanas, mas infelizmente não resistiu e veio a óbito. Algumas horas após ter perdido a mãe para o vírus, o pequeno recém nascido Thomas Grassi Menezes, que tinha cerca de 15 dias de vida. acabou morrendo.

O bebê veio a óbito, na última quarta-feira (28/04), após sofrer cerca de três paradas cardiorrespiratórias. O pequeno se encontrava sobre os cuidados da equipe médica da UTI-Neonatal da Santa Casa de Araçatuba (SP). Thomas nasceu a partir de um parto de emergência realizado no dia 13 de Abril, devido ao quadro clínico de sua mãe estar bastante grave devido a infecção.

Andressa, apesar de estar com apenas 27 semanas de gravidez, teve que ser submetida ao processo, pois a vida de seu filho corria perigo. O parto ocorreu sem maiores intercorrências, mas Andressa teve que ser encaminhada para uma UTI imediatamente para dar sequência ao tratamento contra a Covid-19, sendo intubada e sedada. Na segunda semana lutando pela sua vida, a jovem arquiteta, acabou partindo, sem nem ao menos conhecer seu filho.

Fabiana Cristina Grassi, irmã da jovem de 27 anos, contou em uma entrevista ao portal UOL, que a irmã estava bastante feliz com a gravidez, mas que a covid acabou se tornando um grande pesadelo para a família. A família havia acabado de sepultar Andressa, quando receberam a notícia de que o pequeno Thomas não havia resistido. O pequeno veio ao mundo, pesando pouco mais  de 1kg , e com menos de 7 meses de gestação.

“Ela amava muito já o bebê e estava ansiosa para conhecer, mas infelizmente essa doença destruiu isso”, disse a irmã de Andressa e a tia do pequeno Thomas.