Auxílio emergencial: projeto prevê R$ 800 para famílias vulneráveis com crianças de até 6 anos

O governo federal em parceria com a caixa econômica federal, que vem fazendo parte do pacote de medidas do enfrentamento do nova pandemia no país, realizaram um benefício chamado auxílio emergencial para pessoas carentes.

No começo da pandemia eles consideram 3 parcelas do auxílio, com o valor de R$ 600 reais para as famílias brasileiras e quem era mãe solteira receberia R$ 1200 reais.

Mas como a pandemia foi se alastrando o governo veio a liberar mais 2 parcelas do auxílio emergencial, sendo que seria 5 parcelas ao todo, com ambos o mesmo valor.

Mesmo sendo estudado pelo Palácio do Planalto para que prorroga o auxílio emergencial até dezembro, e com ampliações no valor, ainda não se sabe bem certo o valor a recomendar.

No Senado há pelo menos 10 propostas para serem avaliadas, para garantir a renda mínima para a população brasileira, pois, esse benefício veio a ajudar muitas famílias.

Uma das propostas e renda de R$ 800, para famílias com as crianças menores de 6 anos, e que durante três primeiros anos de vida da criança, e depois seria o valor de R$ 100, até a criança completar 7 anos de idade.

Sobre a proposta o presidente Jair Messias Bolsonaro, não veio a se pronunciar sobre o assunto, mas para a prorrogação do auxílio emergencial até dezembro já garantiu, e em breve vai vir o novo calendário com os valores.

Mas ele falou que o valor não ser a de R$ 600, será na faixa etária de R$ 300 à R$ 200 reais, mas essa nova proposta será bem concedidas para as famílias de baixa renda.