Auxílio Emergencial: Governo toma medida drástica para realizar os pagamentos

Mais de R$60 milhões de brasileiro foram habilitados para receber o Auxílio Emergencial. Este benefício começou a ser pago em abril, e deve continuar sendo paga até o final do ano para algumas pessoas.

Há muitas pessoas que foram aprovadas para receber neste mês de julho e que terão direito a mais três parcelas. No mês de junho, antes do Governo Federal anunciar que o pagamento seria prorrogado para mais dois meses.

O Presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Economia, Paulo Guedes, ambos afirmaram que manter os R$600 de pagamento seria um dano para os cofres públicos.

Pois cada parcela do auxílio representava no valor de R$50 bilhões de reis aos cofres públicos. Apesar do posicionamento do ministro e do presidente, houve a prorrogação do pagamento por dois meses e aprovação para os novos cadastrados.

Mais de 100 milhões de pessoas se cadastraram para receber este benefício, de acordo com o jornal Folha de S.Paulo, O Governo Federal fez um empréstimo para bancar parte dos custos do programa de assistência.

A Corporação Andina de Fomento (CAF) liberou, nesta sexta-feira dia 24, 350 milhões de dólares pedidos pelo governo brasileiro. Na cotação atual, este valor representa cerca de R$1,805 bilhão.

Ainda de acordo com a Folha de S. Paulo, o governo de Jair Bolsonaro pediu empréstimo de cerca de R$ 3,5 milhões a organização de multilaterais, com o banco o Mundial.

Com o fim dos pagamentos do auxílio emergencial nos próximos meses, o governo está trabalhando para um programa chamado Renda Brasil, que vai englobar Bolsa Família e outras assistências.