Após a morte do príncipe Philip, rainha Elizabeth sente um ‘grande vazio em sua vida’, diz filho do casal

Após uma missa, neste domingo (11), Andrew, filho da rainha Elizabeth II e do Príncipe Philip, disse que a morte de seu pai, dois meses antes de completar seu centenário, deixou um “grande vazio” para a vida da rainha, que era sua esposa há 73 anos.

“É quase como se perdêssemos o avô da nação e sinto muito, apoio minha mãe, que provavelmente está sentindo isso mais do que qualquer outra pessoa”, acrescentou o terceiro filho do casal. A morte de Philip foi um grande baque para a família real, já que ele era conhecido como o verdadeiro chefe da família. Durante vários anos de sua vida, o Duque de Edinburgo (seu nome oficial), dedicou-se a assuntos da coroa, dos burocráticas aos familiares.

Andrew, de 61 anos, muitas vezes considerado o filho preferido de Elizabeth II, deixou a família real em 2019 por causa de sua amizade com o financista americano Jeffrey Epstein, acusado de exploração sexual de menores.

O príncipe Charles declarou no sábado (10/04), que tanto ele quanto a família real “sentem muita falta” de seu pai, a quem descreveu como uma “pessoa muito especial”. O que se espera das homenagens póstumas ao príncipe Philip, é um clima de reconciliação familiar, já que ocasiões contarão com o retorno do Príncipe Harry a Londres, que não pisava os pés em Londres desde que se mudara para os Estados Unidos.

Até mesmo o ex Primeiro Ministro do Reino Unido, acredita nesse clima de reconciliação, já que a dor compartilhada por todos os membros da realeza, deixa um campo muito próspero para isso. Ele acredita também, que possa haver uma diminuição nos atritos entre a família real.

O funeral do príncipe Philip será realizado no sábado no Castelo de Windsor, a oeste de Londres, e será restrito ao círculo familiar devido à pandemia. Poderão assistir apenas 30 pessoas, que devem incluir os quatro filhos de Philip e Elizabeth II (Charles, Anne, Andrew e Edward), seus companheiros e filhos.