Mãe mata filho com facada no peito e alega que agiu em defesa dela e do companheiro durante briga, diz polícia

Uma mulher de 37 anos foi presa por supostamente esfaquear o filho de 21 anos no peito em Mutunópolis, norte de Goiás, mas ele disse que, em legítima defesa, teve uma disputa com o padrasto da vítima, de 22 anos, para se proteger.

A empresa disse que a mulher ainda não apareceu como advogada, o nome do parceiro do suspeito não foi divulgado, o crime ocorreu na noite de sexta-feira 16, segundo o delegado André Medeiros.

Responsável pelo caso, o menino se feriu durante o debate e os motivos não estão claros, a mulher e o companheiro têm bebido o dia todo, segundo ela, o filho chegou e ficou confuso, e tentou agredir o padrasto.

Ela caminhou no meio e disse que também havia apanhado, aí relatou que tinha ido com uma faca “Defenda-se e acerte-o no peito”, disse ao G1, José Carlos foi levado ao posto de saúde de Mutunópolis com a ajuda de outras pessoas.

Devido à doença grave, chegou a ser transferido para a força de emergência de Porangatu, a 47 quilômetros de distância, mas não resistiu e acabou morrendo na madrugada de sábado.

O vizinho foi chamado de primeiro-ministro, e este foi ao local para prender a mulher, logo após o crime, seu companheiro desapareceu, assim como a faca usada no assassinato.

O representante tentou encontrá-lo para que pudesse depor, o jovem mora com a avó, Medros disse que não se dava bem com sua mãe e não aceitava seu relacionamento atual, por razões inúteis.

A mulher deve ser responsabilizada por homicídio qualificado, se condenada, ela poderá pegar até 30 anos de prisão, segundo um deputado, o suspeito afirmou que reagiu depois que seu filho tentou invadir Mutunópolis, o padrasto se foi.